Você está em:

A UNISA / Conteúdo especial - Jubileu de Ouro da Unisa /  Depoimentos
Depoimentos

“Este é um momento muito especial na história da Unisa. O Jubileu de Ouro nos faz olhar para trás e lembrar de todos os sonhos, feitos e realizações que aconteceram no caminho percorrido até aqui, em 2018. Como educadora, reconheço a importância da Unisa, na sua atuação, para a transformação da sociedade.

Sua história é inspiradora desde sua essência e a narrativa deste livro mostra com singularidade toda a tradição educacional que foi sendo construída desde a primeira turma do curso de Medicina, formada em 1970, até o novo momento: o de uma universidade que não parou de sonhar, que inova e tem seus olhos voltados para o futuro.

Somos uma instituição de ensino parceira das comunidades que nos cercam. Nossa missão não se distanciou da nossa essência: cumprimos diariamente, o papel de desenvolver ensino, pesquisa e extensão de qualidade, considerando toda a produção científica que é realizada em nossas salas e laboratórios, com talentosos professores e alunos.

A Unisa mostra perenidade e solidez mesmo com tudo que aconteceu no País nas últimas décadas e está sempre muito atenta às mudanças. Mesmo reforçando o valor da tradição, é uma Universidade em constante movimento. Em 2005, foi além dos campi de Santo Amaro e transmitiu sua primeira aula via Satélite. Evento que marcou seu pioneirismo na oferta de cursos de Ensino a Distância (EaD) no Brasil, uma modalidade que está levando o ensino superior para cidades mais afastadas dos grandes centros.

Nossa primeira realização iniciou com o sonho de construir uma universidade. Agora, após 50 anos, nossa próxima concretização será a de permanecer formando profissionais talentosos e excepcionais. Nosso desafio é oferecer um processo de aprendizagem estimulante aos alunos, fortalecer a pesquisa acadêmica e continuar atuando em prol da comunidade onde estamos inseridos.”
Reitora da Unisa, professora Dra. Luciane Lúcio Pereira


“A Unisa foi a segunda instituição privada a ofertar o curso de Biomedicina em São Paulo. Suas primeiras aulas tiveram início em 1972 e esta trajetória foi marcada por muito sucesso, que se mantém com excelentes resultados a cada novo ano. Formou ininterruptamente centenas de profissionais, que ocupam importantes postos nos vários setores da saúde de São Paulo e de outros estados.

Especialmente em 2014, o curso alcançou a nota máxima, 5, no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). Além disso, foi consagrado como o melhor da capital paulista - entre as IES particulares - ocupando a primeira colocação do Ranking Universitário Folha (RUF), produzido pelo jornal Folha de S. Paulo. Sua qualidade acadêmica é atestada também pelo Guia do Estudante.” 
Coordenador do curso de Biomedicina, Prof. Carlos Pereira Araújo de Melo


“A minha história na Universidade Santo Amaro teve início em fevereiro de 1997, quando fui admitido pela professora Amarilis Pavoni, coordenadora do curso de Pedagogia, para lecionar Sociologia da Educação.  Neste ano, foi inaugurado o Campus II.  Tive a oportunidade de trabalhar com a formação de professores, um grande desejo. Aprendi muito sobre a docência no ensino superior e meu contato com o campo da educação e com a realidade social dos alunos foi determinante na elaboração do meu doutorado. A Universidade sempre prezou e garantiu a liberdade de expressão, a autonomia universitária e o livre debate de ideias nas salas de aula e em todos os espaços da instituição.”
Professor do Curso de Pedagogia, Fernando Campos

“Minha história com a Unisa começou em 1991, quando ela estava passando por uma transição, passando de OSEC à FASA. Ainda não havia tantos campi, somente o Campus I, que ficava próximo à minha casa. Lembro de quando era menino e brincava de futebol num campinho próximo à Unisa. Eu não sabia que aqueles muros eram de uma Universidade. Quando um colega me disse que era, fiquei sonhando em um dia estudar ali. Naquela ocasião, era um sonho praticamente inalcançável. Mas, nestes 47 anos de vida, descobri que a vida dá voltas e que sou uma pessoa de muita sorte ou muito abençoada. Em 1995, comecei a lecionar no Estado à noite e durante o dia trabalhava na Unisa. Casei. Crescia profissionalmente. Fiz estágio na USP (FFLCH e MAE) durante dois anos, até que finalmente estava apto a ingressar no Mestrado. O Doutorado foi uma consequência. Nunca vou esquecer do meu encarregado, o senhor Cupertino. Ele sempre apoiou meus estudos, lutava por mim. Convencia os superiores a fazerem horários especiais para que eu pudesse estudar na USP. Serei eternamente grato.”
Professor do Museu de Arqueologia e Etnografia da USP, Vagner Cavalheiro Porto, foi funcionário, aluno e professor da Unisa

“A Unisa poderia ter sido engolida pelos grandes grupos, mas resiste bravamente. Conseguimos nos recuperar com essa gestão atual e voltar a investir. Das escolas mais antigas, fomos uma das primeiras a investir na residência médica. É importante lembrar que somos a primeira escola particular de medicina na cidade de São Paulo.

Estou aqui desde 1998 como auxiliar administrativo. Sou formada na segunda turma de administração da Unisa. Terminei o mestrado e fiz também o doutorado. É uma bela história: entrei como aluna, sendo filha de ex-funcionária e cheguei onde estou. Iniciei aqui no aniversário de 30 anos da Unisa, um ano de festa com livro comemorativo e agora, aos 50 anos da instituição, faço parte da construção desta história. A Unisa cresceu e eu também, com muito trabalho, mas, quando vejo tudo o que passamos, fico muito feliz.”
Pesquisadora Institucional, professora Anna Cristina Pascual Ramos

“Na Unisa, vivi os melhores anos de minha vida como educador. Me identifiquei muito com o curso, com a faculdade, com os alunos. Foi muito significativo perceber que eu fazia diferença na vida daquelas pessoas. Devo ter lecionado para mais de mil alunos, certamente. A vida na Unisa moldou meu ser, meu caráter. Devo o que sou à Unisa e serei eternamente grato. Hoje minha vida está na Universidade de São Paulo, mas sonho um dia voltar para reviver momentos tão bons.”
Vagner Porto, ex-aluno da graduação de História e ex-professor na Instituição. Atualmente é professor do Museu de Arqueologia e Etnografia da USP

“O curso de Serviço Social da Unisa pode ser considerado como parte da história da profissão em São Paulo. Seu pioneirismo se deve à sua formação voltada para o desenvolvimento local de Santo Amaro, considerando o processo do desenvolvimento industrial, sobretudo as consequências e características marcantes da sociedade capitalista.”
Coordenador do Curso de Serviço Social, professor Emanuel Jones Xavier Freitas

“A Unisa abriu-me as portas para a docência. Eu nunca tinha lecionado para o Ensino Superior e encontrei condições muito favoráveis para o exercício profissional, graças à coordenadora Nely Bacellar que favorecia o desenvolvimento de diversas atividades extracurriculares. Não recebia muito bem, mas tão logo comecei, a coordenação já me atribuiu mais aulas, pois os alunos responderam bem a elas. Dediquei muito à Universidade, a ponto de me indicarem para outras funções, como a coordenação de pós-graduação.”
Luis Antonio Bittar Venturi, ex-professor de Geografia. Atualmente é professor Livre Docente da USP

“A Universidade tem uma significativa relevância na minha vida, pois abriu as portas para poder exercer meu magistério no Ensino Superior. Possibilitou que eu contribuísse com a formação de discentes, na capacitação de docentes e funcionários, bem como intervir em minha própria formação, pois nesses anos todos de relacionamento a Universidade propiciou que realizasse cursos de formação, bem como capacitações que puderam contribuir e alavancar para meu crescimento dentro da Universidade.” 
Diretora de Educação Continuada, professora Renata Cardillo Homem de Mello

“Na Unisa, comecei como estudante e cheguei à Pró-Reitoria. Hoje nós vemos as novas gerações mudando de camisa facilmente, mas eu ainda preservo isso de vestir a camisa. Circulei por outras instituições, mas tenho orgulho de ser daqui. Era meu sonho contribuir com a área da pesquisa e nossas perspectivas são excelentes, tanto em nível nacional como internacional, pois já temos a colaboração de pesquisadores dos Estados Unidos, Europa e estamos pleiteando a Ásia. Nossos planos é tornar a Unisa uma referência mundial em pesquisa.”
Diretor de Pós-Graduação e Pesquisa, professor Marco Antonio Zonta

“Há 50 anos, a Universidade Santo Amaro tem sido uma referência na Zona Sul de São Paulo, nas áreas de ensino, extensão e pesquisa.  Na área da educação, é responsável pela formação de professores e gestores das diretorias de ensino da região, especialmente da rede pública municipal e estadual de ensino. Percebo a importância da Unisa pelos trabalhos sociais que desenvolve na periferia de São Paulo, nas áreas da saúde física e mental, na assistência jurídica, social e educacional.”
Fernando Roberto Campos, professor do curso de Pedagogia desde 1997

“A Universidade Santo Amaro (Unisa) abrange toda a comunidade da Prefeitura Regional da Capela de Socorro, com cerca de 670 mil habitantes e ainda tem como área de influencia a Prefeitura Regional de Parelheiros, no extremo sul da cidade de São Paulo, com cerca de  150 mil habitantes. Isto corresponde a cerca de 900 mil habitantes que contam com a Unisa como centro de ensino, pesquisa e assistência, principalmente por meio do Hospital Escola Wladimir Arruda (HEWA) e Hospital Dia da Rede Hora Certa, situados dentro do Campus da Universidade.

Esta era uma região de difícil lotação de médicos, devido a dificuldade de acesso por transporte público, sem linhas de Metrô, poucas linhas de ônibus e pela distância a ser percorrida. Porém, o fato dos estudantes passarem por pelo menos seis anos na Universidade, além da residência, vincula estes profissionais à região, que passam a não considera-la distante, porque foi uma rotina nas suas vidas percorrerem este trajeto. Desta forma, a região tem muitos profissionais de saúde que conhecem e vivenciaram  a sua realidade.

Todo o investimento na formação dos alunos para atuar no Sistema Único de Saúde (SUS) é de extrema importância para a região, pois isto certamente trará qualificação para a assistência da saúde local. Nossos alunos egressos estão atuando nas unidades básicas de saúde, nos hospitais de Grajaú e agora Parelheiros, e muitos deles são preceptores que auxiliam na formação de novos profissionais em prol de melhorias no Sistema Único de Saúde (SUS). Isso é fantástico para nosso discente, que mantém um vínculo permanente com a Universidade Santo Amaro e a região.

Ao contrário de outras instituições, onde os alunos cursam a faculdade em uma região e tem cenários de práticas em outras regiões, os egressos  e alunos da Unisa tem uma sensação de pertencimento à região da Universidade Santo Amaro. É um privilégio poder conhecer a epidemiologia do local e atuar de acordo com as necessidades desta comunidade. Sempre enaltecemos isso pois é uma característica exclusivamente nossa e de grande importância na formação do alunado.”
Jane de Eston Armond, coordenadora da Pós-Graduação em Ciências da Saúde e coordenadora do Núcleo de Saúde Coletiva/Mental

“Tenho praticamente a mesma idade da Unisa e moro no bairro de Santo Amaro desde que nasci, então, desde pequeno ouço falar de gente do bairro que utiliza os serviços da Universidade na área da saúde. Além disso, é fácil perceber a importância dos campi para o comércio do entorno, dos polos para o desenvolvimento de regiões remotas, e acima de tudo, para milhares de alunos que se formaram aqui e desenvolvem carreiras de sucesso.”
Eduardo Batman Junior, Pró-Reitor de Graduação da Unisa e Diretor de Ciências Humanas, Sociais e Exatas

“Estou há 13 anos na Unisa. Foi aqui que obtive meu crescimento e minha realização profissional. Em todos esses anos, tive a oportunidade de aprender nas mais diversas áreas da Instituição e, através do que aprendi, pude me aprimorar na gestão administrativa. Eu a como uma grande Instituição de Ensino, com tradição na educação dos cursos presenciais e tornando-se uma das pioneiras no ramo, principalmente na área da saúde, além da inovação e crescimento das tecnologias para o Ensino a Distância.”
Gisele Nunes Ferraz, Gerente Administrativo de Registros e Controles Acadêmicos