Você está em:

A UNISA / Institucional/Notícias
Notícias

Liga de Medicina e Arte da Unisa realiza primeiro curso com música e palestras

No dia 17 de agosto de 2017, foi realizado o I Curso Introdutório da Liga de Medicina e Arte da Universidade Santo Amaro – Unisa, apresentado no miniauditório do Campus I. A iniciativa, que integra as comemorações de 50 anos da instituição, estabelece relações entre o universo médico e as diferentes formas de expressão artística, contribuindo para a formação de um aluno crítico e ciente da pluralidade da questão humana.

A concepção da Liga surgiu da necessidade e desejo por um conhecimento que extrapole a vivência acadêmica centrada puramente na realidade médica. Para tanto, a programação deste primeiro encontro contemplou a exibição da proposta do projeto, feita pela presidente e vice-presidente da liga, as alunas Victória Gadotti e Fabiana Korsakoff. Ocorreram também apresentações musicais dos alunos Rafael Machado, Dea Keiko, Henrique Venturini e Fernanda Loreto.

O evento seguiu a programação com a presença da Profa. Claudia Vendramini Reis, coordenadora do Programa Educativo da Fundação Bienal de São Paulo e professora colaboradora da disciplina de Gestão de Projetos Culturais do Centro de Estudos Latino-americanos sobre Cultura e Comunicação (CELACC- ECA-USP), que direcionou a palestra "A Medicina e a arte: referências na História da Arte e na Arte Contemporânea".

O Dr. Paulo Cezar Rozental Fernandes também participou com a explanação do tema "O uso da arte no aprendizado médico". O profissional é médico-cirurgião formado pela Unisa e pelo Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM), delegado e membro da Câmara Técnica de Médicos Jovens do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP), empresário e Ilustrador.

O Prof. Dr. Marco Antônio Zonta, diretor de Pós-Graduação e Pesquisa da Unisa e coordenador da Liga, esteve presente no evento e confirmou a importância do projeto: - “A relação entre a arte e a medicina está em cada momento de emoção, no sorriso e nas manifestações de dor e sofrimento. A música trata e acalma, a escultura implora perdão e compaixão, e a poesia expõe todas as emoções. Estou feliz e emocionado em coordenar esse grupo de notáveis idealizadores, brilhantes estudantes de medicina e espetaculares seres humanos”, comemorou.

Universidade Santo Amaro: 22/08/2017 08:00
Compratilhar:
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin